terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Adeus e obrigado 2016

De 2016 tenho muito à agradecer por continuar vivo e ainda fazendo música. A música salvou minha vida até aqui e espero por muitos anos mais. Com a dificuldade que for, com as porradas que vierem, fazer música sempre será um presente que me deram pra atravessar a passagem pelo planetinha azul. Esse ano lancei dois novos singles, montei um time de gente que tenho muito orgulho e privilégio de ter ao meu lado, estreamos um show tocando um pouco do que produzi durante 35 anos de guitarra e em breve à partir do começo de 2017, enquanto compomos um novo álbum e fazemos alguns shows, sairão 2 videos por semana dessas faixas. Sim, a cada semana um do Live Session no estudio 500 e um do show do Sesc, ambos editados por um time que assim como eu, não pára na pista. Aqui nas fotos um pouco do que foram as sessões do estudio 500. De 2017 só quero saúde para continuar na pista. As dificuldades? Fodam-se elas, vou atrapalhando a vida delas...com gôsto. Um tremendo 2017 à todos vcs e não se deixem derrubar, nunca.
Agradecimento mais que especial à equipe
Renato Coppoli, Wagner Molina, Douglas Chohfi, Fernando Fernandes, Rodrigo (Batman), Glauco Mastrângelo, Ricardo, Estudio 500 e equipe, Grace Lagôa, Cida Cunha, Michel Teer, Vera Mendes, Fausto Oliveira, Alessandra Oliveira, Nazir Gomes, Cesar Gavin
And the BEST BAND:
Marcião Gonçalves, Ivan Scartezini, Fernando Janson, Ricardo Alpendre

domingo, 18 de dezembro de 2016

Live Session Estudio 500

Em meu nome e da banda agradecemos à todos que se envolveram nesse projeto e nos premiaram com seu apoio e good vibrations.
Ontem gravamos um live sessions em audio e video. Live sessions de verdade. De gente humana, com acertos, com erros, com tudo o que uma banda que tem como busca prioritária soar de verdade. No Overdubs, No autotunes, No copy paste.
Nada além de 5 caras fazendo o que gostam de fazer.
A partir de fevereiro um video por semana para os que nos acompanham e para os novos amigos que esperamos fazer nessa nova estrada.
Em 2017 também novo EP de inéditas.
Muito obrigado do fundo do coração à
Douglas Chohfi, Fernando Fernandes, Rodrigo (Batman), Glauco Mastrângelo, Ricardo, Estudio 500 e equipe, Grace Lagôa, Cida Cunha, Michel Teer, Vera Mendes, Fausto Oliveira, Alessandra Oliveira, Nazir Gomes, Cesar Gavin
Xando Zupo Marcião Gonçalves, Ivan Scartezini, Fernando Janson, Ricardo Alpendre




quarta-feira, 2 de novembro de 2016

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Entrevista em duas partes ao Megaphone Cultural

Entrevistão dividido em duas edições concedido ao portal e jornal Megaphone Cultural e conduzida por Tony Monteiro.
Sempre um prazer ser entrevistado por ele, que além de tudo é um brother in arms das guitarras.

PS - Pelo fato de algumas partes haverem sido editadas para caberem na diagramação do jornal, sinto-me na obrigação de colar no fim desse post minha resposta completa sobre o fim do Pedra.
É um fato que envolve parceiros e faço questão de colocar a resposta completa "ípsis líteris" enviada ao portal.
Grato ao Tony e ao Portal pela matéria. Foi um prazer.

Links para as edições digitais
https://issuu.com/megaphonecultural/docs/megaphone_57
https://issuu.com/megaphonecultural/docs/megaphone_59_-_23_de_setembro_de_20

OU
Clique nas fotos para ler a matéria.










Aqui a resposta completa:

Após lançar o terceiro disco, “Fuzuê” (2015), o Pedra surpreendeu ao anunciar que estava encerrando atividades. Por que isso aconteceu?
Como já disse, um fim de banda tem várias razões que vão se sobrepondo e cada um tem as suas. Da minha parte duas coisas foram preponderantes.
Primeiro uma divisão nítida de intenções musicais que nos dividiu em dois blocos. Eu via e vejo um mundo pegando fogo e queria que a banda fosse mais intensa em responder à isso e algumas das faixas, que acabaram nem entrando no álbum, me pareciam apenas preencher um espaço, encheção de linguiça. Algo que nos ensaios, aos poucos, parecia querer começar a tomar espaço na banda. Uma música, às vezes de gaveta, com uma letra que vinha cobrindo por cima, algo que eu sempre fui intensamente crítico. Aquela letrinha que "não compromete" jogada em cima. Eu quero que comprometa. Eu sou extremamente autocrítico e ainda que eu faça algo ruim, ele tem de ser tão ruim que você odeie mas jamais algo que "não comprometa". Aquele "tá bom assim". Isso me irrita e frustra. A banda vinha se arrastando nesse disco numa atmosfera morna e chata. Eu e o Rodrigo começamos a nem compor juntos mais há tempos. Ele trazia as coisas dele, as vezes com letra de terceiros (o que não era um problema pois tivemos grandes parceiros como o Cezinha de Mercês e o Tom Hardt e Osmar Santos Jr), mas começavam a pintar letras de um universo que além de não ser o que eu acreditava, não eram nem do universo ou atmosfera em que o Pedra habitava ou do rumo ou "norte" que eu via que a banda deveria ter em um álbum chamado Fuzuê! em meio a um mundo pegando fogo. Não é questão de ser bom ou ruim mas de ser ou não ser Pedra. Na minha visão e na do Ivan não eram. Isso não deveria ser um problema já que eu mesmo tive várias músicas que não cabiam na banda e não entraram em álbuns. Não há nenhuma paz, que lancei agora era uma música que deveria ter sido lançada em 2012 solo, minha que não cabia no Pedra e eu a retirei da pauta. Furos nos sapatos também era solo mas cabia e entrou no Fuzuê!. Nem tudo entra em um álbum. That's life.
Sendo assim, a banda nitidamente caminhava para uma divisão de intenções artísticas, algo que acontece e eu tenho um tremendo carinho pelo Hid e admiração pelo seu talento mas musicalmente mudamos nossas sintonias dentro desse período. Eu gosto de frisar até para pessoas as quais eu venho a tocar ou não, que além de ter de haver química, às vezes essa química apenas não está lá naquele momento e em outro é genial. Enfim... a banda se dividiu. Eu e o Ivan queríamos um rumo, eles outro e o Luiz a meu ver já estava fora da banda há tempos, apenas não verbalizava. Todo mundo estava insatisfeito mas a carga de trabalho, que é o próximo caso ficava comigo.
Em segundo lugar a falta de pró atividade dos companheiros nos últimos anos. Seja derivativa do cansaço natural, da batalha insalubre que é ter uma banda autoral ou de convívio intenso e desgastando, uma empresa tem de funcionar ou fechar.
Nos últimos anos eu passava centenas de horas gravando, mixando, compondo, filmando, editando videos de shows longos com dezenas de câmeras e milhares de imagens, trancado por meses dentro do estúdio e via a banda se distanciando, cada um correndo atrás de suas gigs e projetos e o Pedra perdendo a prioridade na vida deles, só que a empresa não estava fechada, o trabalho tinha de ser feito e eu era o único que não tinha o direito, mesmo que quisesse, de parar o trem. Porque se eu parasse de trabalhar, a banda simplesmente parava sem avanço algum. Isso foi assim desde o começo. Normal, toda a banda tem um cara assim, quando tem dois é sensacional, com três é estouro de sucesso. kkk
Claro que houveram alguns momentos de maior envolvimento conjunto nas tarefas da banda mas 90% caiu em mim, sempre.
A cada encontro eu via que havia ficado 100/200 horas trabalhando e via os outros mais envolvidos nas gigs da noite, resgates de bandas anteriores e sem interesse em buscar soluções para marcar shows ou qualquer outra atividade que somassem à banda. Os últimos anos foram extremamente frustrantes e nocivos à mim. A única coisa que me manteria na banda para continuar trabalhando naquela intensidade seria ter a autonomia de filmar e gravar um álbum ao vivo com um best of dos 10 anos e produzir um EP com 6 músicas novas na sequência disso mas com o direcionamento artístico que eu acreditava ser nosso melhor caminho já que eu era o único que "executivamente" produziria, assim como produzi e banquei por 10 anos a estrutura e ainda funcionava 25 horas por dia Pedra e artisticamente compus perto de 60% das músicas e 70% das letras.

O resultado nós sabemos. A banda já estava dividida. Eu e Ivan Scartezini mantivemos a parceria e estamos tocando juntos e preparando novos trabalhos. Luiz Domingues está envolvido em seus projetos e Rodrigo Hid nos dele. Apesar de ser triste ver o filho "Pedra" encerrado, as músicas, o que importa, estão aí. Serão ouvidas e continuarão a ser tocadas ao vivo. O fim foi algo triste mas de certa forma em uma reunião tranquila, rápida e que também trouxe uma grande sensação de alivio.
Inicialmente eu e o Ivan iríamos tentar remontar a banda mas eu realmente não tenho vontade de arrastar uma banda trabalhando como um obstinado, como o parça Marcelo Mancha as vezes me chama e eu concordo que sou. Se eu estou envolvido, sou um workaholic.
É claro que existem somas de motivos, existem visões diferentes e eu não sou santo ou demônio mas os motivos aqui colocados são os mais honestos e verdadeiros
Desejo toda sorte aos projetos dos dois.

domingo, 7 de agosto de 2016

Shine on

Shine on é uma das faixas da Demo tape do Big Balls lançada em 1994. Era uma das faixas que chegou à Ralf produções e que abriram caminho para a contratação da banda pela East West.
Nesse video foram unidos trechos de dois shows da banda, CCSP e Noni Noni Bar, pois os videos eram picados e não continham a música completa. A união dos dois videos conseguiu remontar a faixa inteira.
Alex Soares (bateria) havia entrado na banda quatro dias antes desse show pois ficamos sem baterista. Sorte nossa e dele, acabou entrando em uma banda que um ano após se apresentaria no Bem Brasil, Brasil 2000, MGM, Aeroanta, Mtv, etc... e sorte nossa por descobrirmos um garoto que tocava como gente muito grande.
Big Balls 1995
Marco Ackua Calomino - Vocais
Pedro Crispi - Baixo
Alex Soares - Bateria
Xando Zupo - Guitarra


sexta-feira, 8 de julho de 2016

Noticias de ontem Nº 5 - 10 anos do lançamento do Pedra com shows completos em video.

Em 26/05/06 no Café Aurora SP - Pedra/Carro Bomba/Golpe de Estado subiam ao palco juntos.
Era o segundo show da banda, o primeiro havia sido em 21/05/06 na Feira da Pompéia SP, Palco Rock para umas cinco mil pessoas.
Foi naquela tarde que as caixas de cds Pedra, nosso primeiro album, adentraram à minha sala e o público presente no Café Aurora foram as primeiras pessoas que o compraram.
Agora, dez anos depois, entram no ar dois shows dessa primeira sequência de lançamento do album.
Blackmore Rock bar em 14/06/2006 e Centro Cultural São Paulo em 08/07/2006, respectivamente o terceiro e quarto shows da banda. "Infelizmente apenas após o video estar upado no Youtube percebi que o show do CCSP está com uma legenda errada dizendo que era o terceiro ao invés de quarto." 
No Blackmore a noite foi dividida com os amigos do Carro Bomba e no Centro Cultural foram capturadas em 16 mm as imagens para o segundo video clipe da banda, da faixa Sou Mais Feliz, dirigido por Eduardo Xocante.
Esses videos são um registro e memorabilia do Pedra, banda que montei e trabalhei arduamente durante dez anos e onde, junto à Rodrigo Hid, Ivan Scartezini e Luiz Domingues, criamos um vasto repertório dividido em três albuns. Essa história terminou mas a obra construída estará aí para sempre e sempre que possível irei alimentando a rede com alguma memorabilia desse trabalho o qual tenho orgulho de ter construído.
Mais para a frente novos shows serão lançados.





 As imagens acima são de uma câmera amadora e apenas registram esse dia mas encontramos algumas imagens em 16 mm de outros trechos do show e elas foram inseridas nesse video, a partir dos 39:54 min, enriquecendo muito esse registro de uma época quando as câmeras digitais ainda não haviam invadido os shows, o que foi acontecendo rapidamente nos anos seguintes. Alguns pequenos trechos do show se perderam mas 90% do que aconteceu nesse dia está nesse video.

 

terça-feira, 24 de maio de 2016

Mês de Comemorações - 20 anos do album Big Balls/10 anos do album Pedra e nova banda in full flight

Vale um post, sim.
Mês de Comemorações - 20 anos do album Big Balls/10 anos do album Pedra e nova banda in full flight.
Sei cada passo dessa estrada e a tremenda luta para que cada um desses filhos visse a luz do dia.
Muito feliz por todo o suor e por ter a chance e a força de voltar à estrada novamente.
Parabéns a todos os envolvidos.
Paulo de Tharso (R.I.P), Pedro Crispi. Alex Soares - Big Balls
Rodrigo Hid, Luiz Domingues, Alex Soares e Ivan Scartezini (que apesar de não ter gravado o album, o tocou ao vivo em toda a estrada)
Diogo Oliveira, Wagner Molina, Daniel Kid, Samuel Wagner, Edgard Veçoso, Ivan Pieri, Cida Cunha, Grace Lagôa, Alessandra Oliveira, Vera Mendes, Fausto Oliveira, Michel Camporezze Teer. pela ajuda inestimável ao Pedra.
À Tadeu de Godoy por todo cuidado conosco (Big Balls) na estrada.
Renato Carneiro que esteve presente e in charge em ambas produções e tornou sempre a vida mais fácil para todos nós.
Agradecimento especial também ao Ralf  Richardson e Renato Sprada, sem os quais o album Big Balls jamais existiria. Tks, mate !
E a dezenas de pessoas que não caberiam aqui e a todos os fãs que compareceram aos shows.
Muito obrigado.
Em maio de 1996 era lançado o album do Big Balls
Em 26 de maio de 2006 era lançado o primeiro album do Pedra.
Em 16 de maio de 2016 minha nova banda (mais noticias em breve) iniciou os ensaios para meu primeiro live album e dvd.
O melhor vem agora ? Talvez sim mas o melhor mesmo é continuar sempre na estrada.

Só dar play quem quiser relembrar.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Disponibilizada a entrevista para o Programa Distrito Brasil da Stay Rock Brazil WebRadio

Disponibilizada, para quem não ouviu ao vivo, a entrevista para o Programa Distrito Brasil da Stay Rock Brazil WebRadio.
Com apresentação de Renato Menez e colaboração de de Adilson Oliveira falamos sobre os quase trinta e cinco anos de Playar guitarra, gravar, compor, equipamentos, enfim...um monte de bate papo permeado com algumas das músicas gravadas durante esse tempo todo.
Foi um prazer falar com a Stay Rock Brazil, uma das Webradios mais descoladas do Rock Brasuca.

Quem quiser ouvir, está aqui no link. - https://www.mixcloud.com/renato-menez/programa-distrito-brasil-entrevista-xando-zupo/

Ou no Player abaixo




quarta-feira, 23 de março de 2016

Enquanto isso, na Brasil 2000 webradio e no Poeiracast

Que luxo ! O Poeiracast do John McLaughlin abrir com meu single "Queimarás no Inferno" e de surpresa. É coisa linda demais.
Obrigado pessoal. Fiquei feliz demais.

http://www.poeirazine.com.br/poeiracast/272/

E na Brasil 2000





sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Presente de grandes amigos. O último show do Pedra no CCSP, editado.

Acabamos de receber um presentaço dos amigos Michel Camporeze Téer, Fausto Oliveira, Nazir Nazir Gomes Correa, Vera Mendes, Alessandra Oliveira. O último show da banda Pedra no Centro Cultural São Paulo que aconteceu no dia 10 de agosto de 2014 e o antepenultimo da história da banda. Após esse apenas um no Gambalaia e o derradeiro na Brasil 2000 Radio, que foi onde começou e terminou nossa história. Uma tremenda filmagem e edição bacanérrimas em várias câmera. Um belo presente e registro dos dias finais, feito por pessoas que sempre vibraram junto à banda e sem as quais muita coisa não teria acontecido. Seremos eternamente gratos à essa turma. Um baita Beijo. (Xando Zupo) E sei falo por todos os Pedras quanto a essa gratidão. PS - Que demais as mensagens no finzinho do show, pessoal.
Vcs são demais.
Um baita bj em cada um


terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Seguindo a estrada. The chase is better than the catch.

Seguindo a estrada.
Queimarás no Inferno e Não há nenhuma paz são as primeiras faixas de uma nova paisagem dessa estrada.
Durante esse ano de 2016 muitas mais virão, com muitos convidados mais que especiais que participarão dessa festa, dessa etapa dessa estrada.
Esse é o foco. A estrada. The chase is better than the catch.
Fiquem antenados. Eu estarei por aí.
Gde abraço

Download MP3 - https://soundcloud.com/xandozupo1/tracks

Você pode se interessar também por - Live Sessions Estúdio 500





sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Novo Zupo 50's Load Overdrive Mod by JR Mod/Chutando Lata Pedals

Demo Overdrives Board Xando Zupo
Oi pessoal. Esse é o video de apresentação da nova Mod que JR Mod/Chutando Lata Pedals desenvolveu para mim, o Zupo 50's Load e o antigo GE Zupo.
Esse video é apenas uma demonstração do uso delas no meu set up junto ao Tube Screamer e não um comparativo com várias regulagens como o antigo video da GE Zupo quando foi lançada e que está disponivel também no You Tube e nos links abaixo, onde vocês podem encomendar a mod.
Há 4 anos as mods do Rosseti são o meu som de drive.
Não tenho nada mais a dizer. É o meu som.

http://www.xandozupo.com.br/ 
https://www.facebook.com/JRMOD 
http://www.jrmod.com.br/ 
http://www.chutandolatapedals.com.br/
 

 Aqui o antigo Video de Lançamento da GE Zupo