quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Faixa a Faixa nº5 - Livre como você

Faixa a faixa são posts onde falo um pouco das músicas que fiz na estrada. As mais queridas, as mais difíceis, as mais inspiradas...enfim as minhas mais mais, para quem quer saber um pouco mais e passa por aqui. Vou escrevendo conforme bater vontade...
Ao lado direito do site, nos "Marcadores" Faixa a Faixa, aparecem todos os postados. Só clicar e ver.

Livre como você (Zupo)
Lançada originalmente no álbum Xando Zupo Z Sides (2003)


Livre como você é a faixa de abertura do álbum I Got My Own World to Live que lancei na internet em 2003. Aqui um pouco da história do álbum http://www.xandozupo.com.br/2010/11/velhas-cancoes-pte-2.html
Nessa faixa tive a companhia dos amigos da Patrulha do Espaço, Rolando Castello Jr, Luiz Domingues, Marcello Schevano e Rodrigo Hid que gentilmente me acompanharam nessa gravação.
O que começou em 2001 quando compus a música, finalizou-se em 2003 sendo um desabafo, reflexão, homenagem, lamento, enfim.... à passagem da minha mãe para outras paragens fora do planetinha azul, quando escrevi a letra.
Escrever letras é um eterno estado de atenção. É prestar atenção a todo movimento, à tristeza ou alegria dos amigos, aos olhos do meu cachorro, a vida, a morte, aos humores, ao trânsito, aos cartões postais.... E foi em um cartão de fim de ano da Mauro Salles propaganda que trouxe o título e a parte final da letra dessa música. Um cartão de fim de ano gigantesco em forma de pôster onde cada um dos funcionários da empresa fez um desenho e uma mensagem de natal e réveillon. Lá estava o desenho que minha mãe fez de uma pomba branca que rasgava as amarras da cruz e abandonava a crucificação, com a mensagem: "A paz de um Deus liberto, livre como você ! Feliz 1981 (Francis Vargas). Não sei se ainda encontro esse cartão por aqui, acredito que sim e se o achar posto aqui no futuro. Os posts são sempre realimentados por aqui.
Enfim.... esse cartão e a dor da perda totalmente repentina, de um dia para o outro, não só da mãe mas da amiga de balada, de shows e quem a conheceu sabe que ela não era uma mãe na acepção corriqueira da palavra, fizeram a letra nascer.

"E se amanhã o teu sol não raiar ? E se disserem não ? Isso acontece irmão.
Se a balada de repente acabou sem o sonho que você planejou e se a essência do que era ideal já não toca mais o seu coração.
E se pudesse gritar pra que o mundo te ouvisse ?
E se souber a palavra que é mágica e que põe fim ?
Keep cool, man ! Teu som deve estar legal.
Keep cool, man ! Minha patrulha é espacial.
Cê tá na estrada e som e sol é sempre a minha cara
E se pudesse gritar pra que o mundo te ouvisse ?
E se souber a palavra que é mágica e que põe fim ?
E se pudesse gritar ?
Não deixa a estrada te perder meu amigo. Não deixa a alma envelhecer.
A vida é sonho e eu tô sempre contigo.
A paz de um Deus liberto, livre como você !
E som, e Sol, e som, e sol, e som, e sol....

Encerrando a música, e lembro que a interpretação do Rodrigo Hid parecia já ter arrancado todas as lágrimas possíveis minhas no estúdio, recortei a frase dita por ela /"Do fundão do coração pra você, hein bicho ?! E vai fundo com a vida, tá ?!"/ em uma fita k7 onde ela havia gravado várias crônicas e poemas 22 anos antes de partir.
A mixagem mais difícil da minha vida mas acredito que o final de música mais esperançoso que escrevi na vida e esperança é tudo o que temos, não ?

Um agradecimento especial ao Rodrigo Hid (Oliva) por emprestar a voz magnificamente para uma faixa que eu jamais conseguiria cantar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário