sábado, 27 de dezembro de 2014

Faixa a Faixa nº 6 - Reflexo Inverso

Faixa a faixa são posts onde falo um pouco das músicas que fiz na estrada. As mais queridas, as mais difíceis, as mais inspiradas...enfim as minhas mais mais, para quem quer saber um pouco mais e passa por aqui. Vou escrevendo conforme bater vontade...
Ao lado direito do site, nos "Marcadores" Faixa a Faixa, aparecem todos os postados. Só clicar e ver.
*Raramente falo aqui dos arranjos porque música é a expressão mais pura dos nossos sentimentos.
A música, pelo menos como as componho, não carecem do lado racional como a palavra necessita. Música é para se ouvir e sentir, não quero falar sobre isso. Sobre acordes ou teoria.
Já as letras possuem seu lado racional, condutor à emoção e são o tema principal dessas linhas que escrevo a quem possa interessar.
bjs e abs

Reflexo Inverso (Zupo/Hid)
Lançada originalmente no álbum Pedra (2006)

Reflexo Inverso é uma música minha e do parceiro Rodrigo Hid, que preenchi com a letra e idéias abaixo.

"Se você fosse compreendido, como você diz, completamente, então não haveria nenhum outro sentido para a compreensão, daí a necessidade do pecado. "Perceba, que se o mundo todo fosse verde não haveria a cor verde. Da mesma forma, os homens não podem saber o que é estar juntos sem ao mesmo tempo saber o que é a separação. Se todo o mundo fosse amor, então como poderia existir o amor?"
*Trecho de carta de Allen Ginsberg para Jack Kerouac

Uma vez após um show do Pedra no Centro Cultural São Paulo fui abordado no bar da frente (onde se bebe e encontra os amigos após os shows na sala) e perguntado de onde havia surgido a inspiração para o Reflexo Inverso. Isso foi na época do lançamento do disco em 2006. Hoje, dezembro de 2014 colo aqui esse trecho retirado do livro As Cartas (correspondencias trocadas por Jack Kerouac e Allen Ginsberg) e o tomo como uma referência tardia (para a faixa) mas bastante justa aos contrastes, a essência do que me inspirou a escrever Reflexo Inverso, os contrastes.
A busca do outro lado, do avesso de nós, Ying e Yang, nosso estado insano, o beliscão não para acordar mas a dôr, o último ou o primeiro estágio do desespero.
Aquele exato momento em que nos olhamos no espelho em busca de nós, de olhar nos próprios olhos, de buscar socorro. Não é o momento de cura. É de dôr.
"No reflexo inverso o que é triste e frio não sai. Um disfarce uma imagem, igual mas sempre em algum outro lugar. Por esse espelho eu me vejo e não reconheço o que não gosto de olhar. As vezes me perco sem saber pra onde olhar. As vezes me perco sem sair do lugar.
Pra sempre vai, sempre vai ser você."
Soa como uma maldição. Nada mais aterrorizante do que um ser  estático, imutável durante uma vida inteira. Não há pesadelo maior que a inércia. Poucas coisas me irritam mais que a presunção do "saber". É a busca. É a busca, porra!
Quem nunca quis atravessar o espelho?

Reflexo Inverso - ( Zupo / Hid )
Não vai parar de olhar pra esse espelho?
Esperando o que o reflexo inverso pode proporcionar.
Fantasiando um efeito.
Dissimulando o que acontece desse lado de cá.
Choros, beijos, segredos do quarto ao acaso,
ao inverso, igual mas sempre em algum outro lugar.
Em algum outro lugar.
Não quer parar, relembrar o que é feito.
No relexo inverso o que é triste e frio, não sai.
Veste a capa de herói ou vilão, que é um disfarce, uma imagem,
igual mas sempre em algum outro lugar.
Em algum outro lugar.
Pelo que quer que esses olhos procurem.
E ainda que o sim vire não.
Mesmo que esqueça o refrão, da sua canção.
Pra sempre vai, sempre vai ser você.
Mas sempre vai, sempre vai ser você.
Pelo que quer que esses olhos procurem.
E ainda que o sim vire não.
Mesmo que esqueça o refrão, da sua canção.
Por esse espelho eu me vejo e não reconheço o que não
gosto de olhar.
Quebra o espelho ! Traz pra fora o que falta e te faz ir buscar.
Voyeur de mim mesmo. Um lance tão surreal, distorção ao extremo.
Quebra o espelho ! Traz pra fora o que falta e te faz ir.
E, vai !
Às vezes me perco sem saber pra onde olhar.
Às vezes me perco sem sair do lugar.


Pedra:
Xando Zupo - Guitarra/Vocal
Rodrigo Hid - Guitarra/Vocal
Luiz Domingues - Baixo
Ivan Scartezini - Bateria

Nenhum comentário:

Postar um comentário