domingo, 23 de novembro de 2014

Faixa a Faixa nº4 - O Galo Já Cantou

Faixa a faixa são posts onde falo um pouco das músicas que fiz na estrada. As mais queridas, as mais difíceis, as mais inspiradas...enfim as minhas mais mais, para quem quer saber um pouco mais e passa por aqui. Vou escrevendo conforme bater vontade...
Ao lado direito do site, nos "Marcadores" Faixa a Faixa, aparecem todos os postados. Só clicar e ver.

O Galo Já Cantou (Zupo/Hid):
Lançada originalmente no álbum Pedra (2006)

O Galo já cantou se originou de um trecho de riff achado nas gavetas de fitas k7 com demos antigas. O Riff fazia parte de um ensaio em 1999 de tentativa de volta do Big Balls, que foi minha banda entre 88 e 2001. As partes B e pré solo foram criadas nos ensaios de pré produção do primeiro cd do Pedra (2006).
A letra foi uma luz no fim do túnel durante um amanhecer perturbado. Eu mudei completamente minha vida e venho mudando a cada ano algo novo e importante como parar de fumar, virar vegetariano, caminhar...enfim curtir baratos muito melhores para a quilometragem em que me encontro mas já tive muitos amanheceres perturbados em outras épocas e sempre aparece um pouco disso nas letras, afinal são experiências que existiram. Na faixa "Pra não voltar" eu fui um pouco mais a fundo nisso mas fica para outro "faixa a faixa". No caso do "Galo" ela tem um tom muito mais libertador e alto astral. As vezes a gente tem de bater o pé no fundo e olhar para cima, não? Alguns trechos com referência ao mar e estrada, apesar de suas inserções serem primordialmente metafóricas, foram inspiradas por imagens reais. Durante o fim dos anos 80 e início dos 90 eu frequentava muito a rodovia Tamoios e a Rio-Santos e por várias vezes fazia esse percurso sozinho... bem, não sozinho pois meu Roadstar estava sempre lá também. (Para quem não sabe, Roadstar é um toca fitas K7 e não o apelido do meu Corcel II.)
"Sempre abre alguma porta quando outra fechou. Tem anjo que é salvador.
Que diz ser sempre um novo início, quando chega o amanhecer. "
Esses pensamentos sempre me atraem, aquele lance de doar coisas, roupas...deixar o velho ir para abrir espaço para o novo. Enxergar que realmente as portas que se fecham são etapas encerradas para que outras se iniciem. A nossa vida não é um script já escrito que estamos fadados a seguir mas um livro que estamos escrevendo e pode mudar a qualquer segundo.
"Pra quê chorar ao se despedir? Meu bem, sempre vem o amanhecer.
Às vezes, de repente, sol que foi poente volta a brilhar."
Então, já que o Galo já cantou e pra frente é que se anda...se largue pela estrada.....
E, claro, Aumenta o som, Aumenta mais uma vez e vem ver o sol nascer.


Pedra:
Xando Zupo - Guitarra/Vocal
Rodrigo Hid - Guitarra/Vocal
Luiz Domingues - Baixo
Ivan Scartezini - Bateria


Pedra - O Galo Já Cantou + The Mule - Sala Olido 2013 from Pedra on Vimeo.


O Galo já Cantou - ( Zupo/ Hid )
Letra - (Zupo) 

Já não demora, o galo já cantou.
Tanta porrada já não importa o que passou.
Pra que tapar olhos e ouvidos quando chega o amanhecer ?
Se a maré mal trouxe, já levou. Se tudo acaba e foi bom o que ficou.
Aumenta o som, aumenta mais uma vez e vem ver o sol nascer.

Me largo pela estrada e vago até me encontrar.
Às vezes, de repente, sol que foi poente volta a brilhar.
Um pouco de silêncio em meio ao movimento que vem e vai como as ondas do mar.

Sempre abre alguma porta quando outra fechou. Tem anjo que é salvador.
Que diz ser sempre um novo início, quando chega o amanhecer.
Já não demora, o galo já cantou. Ainda grita iludido, sonhador.
Pra quê chorar ao se despedir ? Meu bem, sempre vem o amanhecer.

Me largo pela estrada e vago até me encontrar.
Às vezes, de repente, sol que foi poente volta a brilhar.
Um pouco de silêncio em meio ao movimento que vem e vai como as ondas do mar.
As ondas do mar....

Um comentário: